Tag: narrativa

O crocodilo, de Dostoiévski

   Qual seria sua impressão ao ver um homem ser engolido vivo por um crocodilo? Medo, indignação, desespero, compaixão? E quando um autor consegue imprimir neste tipo de acontecimento uma veia cômica, patético-cômica, mais precisamente? Um conto que, sem dúvida, deixa a marca do confronto com as misérias humanas. Publicado parcialmente em 1864, na segunda edição da revista Epokha, “O crocodilo” já prenuncia os feitos narrativos do Dostoiévski da maturidade, o produtor de obras como “Crime e Castigo”, “Os irmãos Karamazov”, ” O idiota”, entre outras.

Dostoevski

Ler mais

CLUBE DE LEITURA ROSAS NO ASFALTO: as costuras e o prisma de experiências, lendo “O dentro no dentro: colcha de retalhos”, de Aguinaldo José Gonçalves.

Tenho comprovado o que sempre defendi: o hábito da leitura se constrói através do tempo. Digo sempre aos meus alunos que não há fórmula para que se possa compreender um texto, há apenas caminhos e estes precisam ser percorridos todos os dias. Desde pequena já ocupava meu tempo com bons livros e sempre que podia, sacava um da bolsa e lia em qualquer lugar, a leitura para mim é necessidade. Não gosto de ficar sozinha, então, os livros sempre foram a minha companhia constante. Eu tenho assistido a floração da prática da leitura prazerosa e, mais ainda, de uma percepção mais aguçada do “dentro do dentro” do texto, desde que começamos nossas reuniões no Clube de Leitura Rosas no Asfalto, e isso para uma professora de literatura é alegria pura.

lendo

Ler mais

Sobre Crime e Castigo, de Dostoiévski

A primeira vez que li Crime e Castigo, eu tinha 19 anos. Mesmo com a maturidade intelectual ainda aflorando, confesso que, naquela época, a narrativa já me deixou em estado de encantamento. Agora, sob um clima agradável e ameno de final de tarde, aos 32 anos, concluo uma releitura. O impacto é outro, as reflexões são novas, mas a mente vai buscar, ao longo da memória das sensações, aquele encantamento. Pronto, eu senti de novo, termino o livro, fecho cuidadosamente, e fico em estado de meditação.crime e castigo 1

Ler mais

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén